Diabetes tipo 2 e Alimentação

Diabetes tipo 2 é uma doença hereditária que acomete principalmente os indivíduos na fase adulta. Ao contrário da Diabetes tipo 1, a produção da insulina encontra-se normal, mas os tecidos do corpo tornam-se resistentes a sua ação, impedindo a absorção da glicose pelo organismo, ficando em excesso na corrente sanguínea. Suas complicações são: catarata e cegueira, infarto do miocárdio, amputação de membros, pé diabético, dificuldade de coagulação sanguínea, impotência sexual, doenças pulmonares e circulatórias, insuficiência renal e hipertensão arterial.

A alimentação balanceada está associada à prevenção e ao tratamento da doença, controlando a glicemia sanguínea, e deixando os pacientes livres das complicações.

Os alimentos in natura ou minimamente processados devem ser a base da alimentação equilibrada.

O consumo de alimentos com elevado índice glicêmico (velocidade que o alimento transforma-se em glicose no sangue) deve ser evitado, sendo exemplos pão branco, tapioca, refrigerantes com açúcar, batata inglesa, massas, doces, bolachas, sorvetes, mel, melancia, entre outros.

Os alimentos com médio índice glicêmico podem ser inclusos com moderação: arroz integral, pães integrais, beterraba, cenoura e inhame são alguns exemplos.

Os alimentos com baixo índice glicêmico devem ser consumidos diariamente: aveia, leguminosas, castanhas, sementes, iogurte e leite desnatados, quinoa, verduras, couve flor, pepino, berinjela, cogumelo, alcachofra, tomate, ameixa, maçã, pera, melão entre muitos outros.

A ingestão diária de alimentos ricos em fibras é muito importante para a normalização da glicose sanguínea (20 a 30g de fibras/dia) sendo as pectinas e gomas, como por exemplo as cascas da maça e a polpa da laranja, uma das mais indicadas, pois possuem a característica de formar gel, retardando a absorção da glicose pelo organismo.

Alguns alimentos ricos em amido resistente também retardam a absorção da glicose, como a biomassa da banana verde, a farinha da casca do maracujá e a batata yacon.

Alimentos funcionais ajudam no controle do diabetes: amêndoa, canela (500mg/dia do extrato ou 1 a 6g/dia na dieta), alcachofra, probióticos e prebióticos.

A visita a um Nutricionista que faça um planejamento individualizado a você fará toda a diferença no controle ou no impedimento à doença.

Colunista:

Fernanda Smaniotti

Nutricionista Clínica Funcional;
Especialista em Emagrecimento e Nutrição Estética.

*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Caso tenha alguma dúvida sobre o assunto, nos envie suas dúvidas clicando aqui.


O Nutricionista é um profissional da área da saúde que atua no âmbito da alimentação nutricional, baseando-se no estudo da ciência que estuda a composição dos alimentos e as necessidades nutricionais de cada indivíduo.