Distúrbio do sono: sintomas, tratamentos e causas

De acordo com a OMS, cerca de 40% da população mundial sofre com algum distúrbio do sono.

O que é Distúrbio do sono?

Os Distúrbios do sono consistem nas dificuldades relacionadas ao sono. O sono tem quatro estágios, cada um deles é responsável por uma atividade diferente. Dificuldades em qualquer uma das fases do sono pode trazer prejuízos a curto e longo prazo. Entre os distúrbios mais comuns estão insônia, sonolência excessiva, sonambulismo e apneia do sono.

Entenda como funciona cada estágio do sono:

– Estágio 1: É a fase de sonolência, onde o indivíduo começa a sentir as primeiras sensações do sono. Nessa fase a pessoa pode ser facilmente despertada;

– Estágio 2: Dura em média de 5 a 15 minutos. No estágio 2 a atividade cardíaca é reduzida, relaxam-se os músculos e a temperatura do corpo cai. É bem mais difícil de despertar o indivíduo.

– Estágio 3: Muito semelhante com o estágio 4, diferencia-se apenas em relação ao nível de profundidade do sono, que é um pouco menor.

– Estágio 4: Dura cerca de 40 minutos. É a fase onde o sono é muito profundo.

Quais são os Principais distúrbios do sono?

  1. Insônia

A insônia se caracteriza pela incapacidade de conciliar o sono e pode manifestar-se em seu período inicial, intermediário ou final. Geralmente causada por hábitos inadequados, ela pode estar relacionada a distúrbios do humor, como ansiedade e depressão, sendo difícil saber qual vem primeiro. Se os sintomas ocorrerem pelo menos três vezes por semana e por mais de três meses, a pessoa tem um quadro crônico.

A insônia pode ser classificada em três tipos de acordo com sua duração ou frequência, sendo eles:

-Transiente: dura apenas alguns dias e pode chegar até 3 semanas;

-Crônica: também chamada de longa duração, a insônia crônica é aquela que dura mais de 3 semanas;

-Intermitente: insônia de curta duração que ocorre de tempos em tempos. Entre esses tempos, há períodos de sono regular.

  1. Apneia do sono

A apneia do sono é um distúrbio do sono potencialmente grave no qual a pessoa para de respirar, por alguns segundos, diversas vezes durante a noite. Pessoas com apneia obstrutiva do sono podem, as vezes nem sabem que possuem esse distúrbio.

De acordo com dados do Ministério da Saúde, cerca de 50% da população brasileira se queixa de qualidade de sono ruim e cerca de 30% da população adulta sofre de apneia do sono.

Tipos de Apneia do Sono:

Apneia obstrutiva do sono: A (SAOS) é uma parada respiratória provocada pelo colabamento (Condição anormal de um órgão em que suas paredes, geralmente separadas, passam a entrar em contato uma com a outra ou se ligam, ou seja, grudam) das paredes da faringe. O distúrbio ocorre principalmente enquanto a pessoa está dormindo e roncando. Para ser mais exato, durante as crises, ela para de roncar por causa do bloqueio da passagem de ar pela faringe.

Apneia do sono central: A Apneia ocorre quando há um bloqueio do transporte de ar nas regiões respiratórias de um indivíduo. Então, os pulmões não conseguem absorver bons índices de oxigênio, o que prejudica todas as funções das células do corpo. Além disso, este bloqueio causa falta de ar e sensação de sufocamento na pessoa que está dormindo. O resultado disso é mal-estar e cansaço extremo durante o dia, sonolência diurna, ronco, dores de cabeça e dificuldade para entrar em sono profundo.

  1. Sonolência excessiva durante o dia

Também chamada de hipersonolência é caracterizada como uma sensação crônica de fadiga durante o dia. Pessoas que sofrem dessa causa têm uma vontade muito grande (por vezes incontroláveis) de dormir ou cochilar ao executar as diversas atividades de suas rotinas.

Por esse motivo, quem sofre do problema sente uma sensação de cansaço constantemente. Outros sintomas são:

  • Irritabilidade,
  • Ansiedade,
  • Falta de energia para as atividades cotidianas,
  • Isolamento social,
  • Dificuldade de concentração,
  • Perda de memória,
  • Dificuldades para acordar,
  • Mau desempenho profissional/escolar.
  1. Sonambulismo

O sonambulismo é um transtorno do sono que consiste, basicamente, em levantar-se da cama, andar ou praticar algum tipo de atividade enquanto ainda está dormindo, durante o primeiro terço da noite ou o sono profundo. É um distúrbio do sono em que as funções motoras da pessoa despertam, mas sua consciência permanece inativa.

  1. Síndrome das pernas inquietas

A síndrome das pernas inquietas é uma doença de origem neurológica na qual o paciente sente uma incontrolável necessidade de movimentar as pernas. Algumas causas podem ser a deficiência de ferro, insuficiência renal, diabetes mellitus de longa data e doenças neurológicas são as principais causas. Na metade dos pacientes, porém, a origem é genética e não há outras doenças associadas.

  1. Bruxismo

Bruxismo é caracterizado pelo ato inconsciente de ranger e apertar os dentes de forma involuntária, causando complicações desagradáveis como alterações dentárias, dores de cabeça constantes, além de estalidos e dores na mandíbula.

  1. Narcolepsia

A narcolepsia é uma condição neurológica crônica no qual a pessoa sente uma sonolência bastante excessiva, chegando a adormecer em vários momentos do dia, mesmo após uma noite prolongada de sono.

O indivíduo com narcolepsia pode pegar no sono em pé, no transporte público, no meio do trabalho, na escola e até mesmo dirigindo. A narcolepsia faz com que um indivíduo acabe entrando diretamente no sono pesado, sem enfrentar as etapas de sono leve que acontecem com pessoas normais. Essa é uma condição que pode causar acidentes e situações complicadas durante toda a vida.

  1. Paralisia do sono

A paralisia do sono é caracterizada pela paralisia temporária do corpo, logo após acordar. Nesse momento os músculos ficam paralisados e, mesmo que a pessoa queira se mexer, o corpo não corresponde.

Esse distúrbio acontece durante a fase mais profunda do sono, chamado REM (Rapided Eye Moviment), que em português significa movimento rápido dos olhos. Na maioria das vezes, ocorre quando o sono não está em dia ou o cansaço é muito grande. Nessas situações, a transição do sono REM (sono mais pesado) para o estado de vigília (sono mais leve) não é automática e, por isso, a paralisia fica evidente.

Quais são os sintomas dos problemas crônicos de sono?

Os sintomas podem ser diferentes dependendo da gravidade e do tipo de distúrbio do sono. Eles também podem variar quando os distúrbios são resultados de uma outra condição.

No entanto, os sintomas gerais de distúrbios do sono incluem:

  • Dificuldade em adormecer;
  • Fadiga diurna;
  • Forte desejo de tirar uma soneca durante o dia;
  • Irritabilidade ou ansiedade;
  • Falta de concentração;
  • Depressão.

Leia Também sobre: Higiene do Sono. Clique Aqui!

Como evitar os distúrbios do sono?

Se você tem problemas para dormir, saiba que não está sozinho (a). Mais de um terço da população brasileira sofre de insônia, outros distúrbios e cerca de 45% da população mundial tem problemas para dormir.

As causas podem ser as mais diversas como: estresse, problemas de saúde, problemas cardíacos e quando o problema para dormir se repete todos os dias, ele é considerado crônico.

Algumas dessas dicas podem ajudar na melhoria e qualidade do seu sono:

Mantenha os pés quentes – antes de subir na cama, coloque um par de meias para ajudá-lo a adormecer mais rápido.

Bloqueie a luz – dormir em um ambiente silencioso, fresco e escuro permite que seu corpo relaxe.

Exercício diário – dedicar tempo à atividade física todos os dias, mesmo por alguns minutos, reduz o estresse e incentiva o sono reparador.

Minimizar cochilos – um cochilo durante o dia pode renovar energia e refrescar o cérebro. No entanto, evite dormir mais de 30 minutos ou cochilar perto da hora de dormir.

Relaxe com ioga – antes de dormir, dedique algum tempo a fazer alguns exercícios relaxantes de ioga para controlar a respiração, a frequência cardíaca e a atividade cerebral.

Tomar sol – a exposição à luz solar logo de manhã acorda seu cérebro e corpo e promove a atenção durante o dia.

Definir um alarme para dormir – a maioria das pessoas usa um despertador para acordá-los pela manhã, mas é igualmente importante agendar um horário regular para ir dormir.

Benefícios de uma boa noite de sono

Dormir é muito mais do descansar depois de um dia inteiro de trabalho. Ter uma boa noite de sono implica no bom desenvolvimento do nosso corpo e da mente, também. É inevitável que soframos algo com a correria do dia a dia, o que, na maioria das vezes, nos impede de dormir o tempo o necessário. Sabemos que dormir é uma necessidade do corpo e quando isso não é cumprido pode gerar alguns problemas à vida e à saúde.

Uma boa qualidade de sono traz muitos benefícios, principalmente em relação a sua saúde, pois seu corpo pode recuperar-se das atividades do dia e revigora seu organismo, prevenindo muitas doenças. Quando você não tem uma boa qualidade de sono, pode apresentar sonolência, irritabilidade, dificuldade para se concentrar entre outras coisas que com certeza terão um impacto negativo no seu dia. Então não espere mais para poder dormir bem, mude seus hábitos hoje mesmo e lembre-se, se precisar, busque ajuda de um profissional.

 

Fontes:

Site- OMS: Organização Mundial do Sono

Site- Instituto do Sono de São Paulo

Site- Clínica Accogliere

Site- Johny Psicologia

Colunista:

Johny Santos

Psicólogo

A felicidade é um problema individual. Aqui, nenhum conselho é válido. Cada um deve procurar, por si, tornar-se feliz.
Sigmund Freud

*Ao reproduzir este conteúdo, não se esqueça de citar as fontes.


Caso tenha alguma dúvida sobre o assunto, nos envie suas dúvidas clicando aqui.